segunda-feira, 7 de junho de 2010

- Passado Presente


Há muito procuro saber o motivo desse tal passado Bater tão constantemente a minha porta. Desenfreado, sem pedir lisença. Gritando enlouquecidamente Pra entrar, sentar , jantar e ficar. Desfrutar do meu mórbido (atual) cotidiano. Da correria de mais um dia de trabalho, daquele seminário da faculdade que ainda não ficou pronto, do corriqueiro dia – a – dia. Só pra reclamar da minha falta de atenção quando deixo A porta do guarda- roupa aberta, ou daquela blusa branca Que ficou muito decotada. Só pra ficar puto da vida com o meu mais novo corte de cabelo, E no entanto ser o mais solicito quanto a mudança da cor. “ Esse Loiro já não fica tão bem em você, porque não pinta de preto?!Ficaria muito melhor”. Pra se aconchegar em minha cama, grande espaçosa e agora tão vazia. Pra desnudar minh'alma e derrubar a máscara agarrada em meu rosto e Descongelar o coração sofrido. Pra me fazer promessas já ouvidas e nunca compridas. Pra Eternizar no Pra Sempre, que sempre se vai. Ah! Mas tão bom seria. Sim! Seria! Se eu não conhecesse a tal realidade .Se não tivesse fechado as portas pra esse velho mundo, se já não tivesse por inúmeras vezes quebrado a cara e feito o coração em pedaços. Que bom seria. Mas o “bom” já não pode mais...

5 comentários:

Daniel disse...

Fecha a porta de uma vez que as coisas mudaram e em pouco tempo. Basta ter coragem. Não é fácil, mas necessário.
Beijos

Melanie Brown disse...

;D

Show de bOla!!

[ rod ] ® disse...

Não procures entender o passado moça. Ou mate-o ou fale dele por intriga e seja apunhalado... bjs!

Camila disse...

muitos batem para construir seu futuro.

"NóS" disse...

...